O imóvel possui dois pisos e é de planta quadrangular, com dois corpos colateralmente avançados. É um edifício de influência erudita com algumas características neoclássicas.

A fachada principal tem cinco portas, ao nível do piso térreo, sendo as três centrais mais recuadas, dando, assim, lugar a um pequeno pátio revestido com mármores brancos e pretos num desenho enxaquetado. Encima este pátio um balcão protegido por uma balaustrada. No piso superior, que é, à semelhança do inferior, organizado simetricamente, existem, nos corpos mais avançados dois janelões geminados, um de cada lado do imóvel, e, centralmente, dando acesso ao balcão, existe um janelão também geminado ladeado por outros dois mais simples. Ainda nos corpos laterais abrem-se mais dois janelões que dão acesso ao balcão.

O corpo central, mais recuado, é rematado por um frontão curvo interrompido onde se inscreve uma esfera armilar encimada por uma coroa (as verdadeiras armas do Município que eram iguais às do Rei D. Manuel I, quando Duque de Beja e Grão-Mestre da Ordem de Cristo). A fachada Oeste possui ao nível do piso térreo duas portas e quatro janelas com tapa-sóis verdes. No piso superior encontramos três grandes janelões semelhantes aos da fachada principal, com uma varanda com guarda de ferro. Lateralmente recorta-se mais dois altos janelões. Em frente desta fachada existe um logradouro calcetado com pedra de calhau limitado por uma balaustrada, onde se inscreve um alto portal de acesso com porta de ferro forjado.